terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Vem invadindo a sala de estar,
a de jantar, a cozinha, até o quarto chegar.
Faz morada, com pilares quase solidificados.
Estruturas firmes de carinho, gesso de abrigo,
Base de afeto com janela de sons calmos
E móveis de abraços que prendem
E deixam os laços mais apertados que saudade!
Passeia um pouco cá, longe desse olhar
Que aconchega desde os mimos até os medos
E compõe sorrisos nesse nosso abismo.